Poesia e literatura

Após o email, carta, selo e caixa postal têm um problema existencial.

Provoco o domingo com poesia.

Poema alegre é coisa de poeta ajuizado.

O poeta é folha onde a dor escreve, dá sentido, pausa e ponto final.

Poesia boa é quando o verso resiste fora do corpo.

Amanheci preso em cordéis de poesia.

Velhos poetas acenderam meu fogo. Depois, tomamos vinho e embriagamos a noite.

Poetas rasgam o próprio peito com palavras.

Cercado de poesia, rendo-me.

Bem fez Manuel de Barros, que virou jabuti.

Quando o poeta começa a cantar o coração baixa a cortina.

O poeta mistura tristeza e loucura.

Quando o poeta começa a cantar o coração baixa a cortina.

A dor escreve fácil na alma do poeta.

Tenho poesia, ciência, angústia, amor, amizade e alegria a partilhar.

Se aparecer entre parêntesis, desconfie. Não gosto de prisões.

Jornalistas vão da versão ao fato. Advogados vão do fato à versão. Aos políticos basta a versão.

Editorial sem coragem é receita de bolo.

Sua vida é texto sem pontuação. Faça sentido.

Até missa de sétimo dia tem mais conteúdo que editorial vendido.

Twitter, praça onde todos se comemoram.

Twitter é congresso de idéias, não maratona de seguidores.

Twitter: dedos mais rápidos que a mente.

Twitter: dedos ágeis, língua obesa.

Twitter é supermercado de idéias. O melhor produto está nas gôndolas do fundo.

Twitter, mar de solidão e autocontentamento.

Twitter: dedos ágeis, língua preguiçosa.

A língua se fez para o sabor. A fala foi dano colateral.

Nada substitui a alma original.

O vinho estimula as idéias mas desorienta a expressão.

Desconfundi a noite. Tudo está claro em mim.

Cabeça a mil, lotação esgotada e muita idéia na fila.

Não me sigam. Talvez eu esteja perdido.

Caminhantes da mesma estrada, não somos seguidores ou seguidos.

A verdade não precisa de muitos decibéis ou toques ao teclado.

Sou um texto inédito, com versões alternativas.

Vida é texto corrido. A pontuação é sua. Faça sentido.

Esmago a tristeza e o tédio numa folha de papel. Inofensivos, são poesia.

Meu espírito vagueia entre poemas e verdades seculares.

Diante de mim, página inteira disponível, mas os dedos estão mudos.

Anúncios

Uma resposta

  1. Amo todos, demais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: